quarta-feira, 30 de maio de 2012

Saraiva promove Semana Sustentável em âmbito nacional


Serão cerca 100 de eventos gratuitos sobre o tema realizados na rede de lojas Saraiva

De 3 a 9 de junho, 33 lojas da rede recebem programação gratuita e rica em informação, entretenimento e lazer para todas as idades. São atividades lúdicas para as crianças, mesas de debate, palestras e minicursos para jovens e adultos.
A rede de livrarias se posiciona neste cenário prolífico, promovendo cerca de 100 oportunidades para se discutir o assunto inserido em diversos âmbitos da sociedade. O projeto visa a educar, conscientizar e aproximar do cotidiano de todos este assunto tão importante. Nos dias dos eventos, livros sobre o tema terão até 20% de desconto.

 Serão:
• 69 atividades infantis em: São Paulo e Grande São Paulo, Curitiba, Fortaleza, Florianópolis, Manaus, Belém, Caxias do Sul, Juiz de Fora, Rio de Janeiro, Salvador, Goiânia, Porto Alegre, Vitória e Natal. Serão contações de histórias, oficinas recreativas, teatro de bonecos e outras atividades lúdicas que abordam temas como reciclagem e meio ambiente para educar e entreter a criançada.

• 5 Minicursos em: Belém, Fortaleza, Manaus e Salvador. Aulas ministradas por especialistas sobre sustentabilidade relacionadas a negócios e empresas. 

• 17 Papos & Ideias em: São Paulo e Grande São Paulo, Rio de Janeiro, Belém, Fortaleza, Manaus, Salvador, Natal e Porto Alegre. Bate-papos, palestras e debates sobre Design Sustentável, Desenvolvimento urbano, Empreendedorismo Sustentável, Educação Ambiental, dentre outros temas.
“A Semana Sustentável Saraiva é um projeto importante porque leva o assunto para um grande número de cidades do Brasil, com uma programação variada que contempla todas as faixas etárias”, diz Marcílio Pousada, diretor-presidente da Livraria Saraiva.
Dentre os eventos que serão realizados, a palestra sobre “Liderança Sustentável”, ministrada pelo consultor, jornalista e publisher da revista Ideia Sustentável,  Ricardo Voltolini,  é um dos destaques. “A Semana Sustentável Saraiva abre um importante espaço para discutir os desafios da humanidade na transição para uma economia mais verde. Para a Ideia Sustentável, a primeira publicação especializada em sustentabilidade no Brasil, é uma honra e uma alegria participar. Queremos discutir neste espaço os grandes temas, as principais tendências e as melhores ideias para a sustentabilidade”, diz Voltolini.
Outro assunto que será abordado na Semana é “Alimentação Sustentável”, conceito multidisciplinar que aborda a importância da alimentação saborosa e saudável, produzida em sintonia com o meio ambiente. Nesta mesa, participarão o jornalista e responsável pelo portal Gastronomia Sustentável, Sergio Lerrer, o engenheiro Alberto Ozolins e o chef gastronômico William Ribeiro. “É engrandecedor participar da Semana Sustentável Saraiva como mediador, especialmente de um evento sobre esse tema. Falar sobre alimentação é falar de como podemos nutrir melhor o desenvolvimento de nossa sociedade com indivíduos mais aptos ao aprendizado, ao mundo e à adaptabilidade evolutiva do corpo e da mente”, comenta Lerrer.
O organizador da Virada Sustentável, André Palhano, também participará da programação da Saraiva, coordenando o bate-papo “A Cultura como inspiração para a Sustentabilidade”. “Acho importante a Saraiva promover essa movimentação em torno do tema. Demonstra que a empresa já entendeu que sustentabilidade não é um modismo, mas sim uma tendência da sociedade. E que, como pólo de cultura e informação, tem uma responsabilidade grande nesse sentido. Sobre o evento que participarei, abordamos como a arte e a cultura têm relevância no papel de fazer com que esse conteúdo mais denso chegue à população de um modo diferente: pelo coração”, comenta Palhano.
A Saraiva na Virada SustentávelA Saraiva também participa da Virada Sustentável 2012, evento cultural gratuito que acontece nos dias 2 e 3 de junho em vários pontos de São Paulo. Serão 17 atividades para crianças, jovens e adultos, nas lojas Saraiva MegaStore da cidade, que integram o calendário oficial da Virada Sustentável.
Outras iniciativas em SustentabilidadeEsta não é a única iniciativa da Saraiva com foco neste assunto. O Grupo possui desde 2010 um Comitê de Sustentabilidade para mapear e planejar suas possíveis ações nessa área, formado por profissionais de engenharia, direito, recursos humanos, marketing, compras e produção. 
Dentre as ações realizadas, estão a certificação FSC (Forest Stewardship Council - Conselho de Manejo Florestal) da Editora Saraiva; a participação na Virada Sustentável ocorrida em São Paulo em 2011, com a doação de milhares de livros,  a realização de atividades infantis com foco em sustentabilidade nas lojas de São Paulo e o patrocínio da contação de história com a Kiara Terra no parque do Ibirapuera. Outra iniciativa é a produção de papel reciclado a partir de aparas e sobras resultantes da impressão de livros; com este material, pretende-se confeccionar sacolas para a rede de lojas da Livraria Saraiva e, assim, fechar o ciclo do papel.




 
ProgramaçãoPara a Semana Sustentável Saraiva, foi criado um hotsite com informações sobre o projeto e a programação completa de eventos em todas as cidades:www.livrariasaraivasaraiva.com.br/sustentabilidade

Confira os destaques da agenda:

SÃO PAULO (SP)___________________
Palestra do Prof. Gibson Zucca da Silva >> Virada Sustentável2/6, sábado, 11h :: Shopping Pátio PaulistaA oficina ou palestra é sobre os principais eixos do livro Sustentabilidade, Responsabilidade Social e Meio Ambiente lançado no mercado nacional recentemente pela Saraiva e que aborda os seguintes temas: Mudanças Climáticas, Economia Verde, Inovações Sustentáveis e Empreendedor da Sustentabilidade.O diferencial desta obra é que preza por uma engenharia didática que facilita a aplicação no dia-a-dia das pessoas comuns, ou seja, da conscientização para a ação responsável.

Oficina “Os Apelos de Sustentabilidade no Mercado de Consumo” - Fundação PROCON SP >> Virada Sustentável
2/6, sábado, 15h :: Shopping Pátio PaulistaSerá feita uma breve contextualização da proteção ao meio ambiente vinculada aos direitos do consumidor e, em seguida, os participantes farão uma análise prática dos produtos e anúncios, com o fim de se verificar se os termos e conceitos utilizados são claros ou não, bem como se são suficientemente precisos para orientá-los à correta destinação no momento pós-consumo, uma vez que tais meios (embalagens, rótulos, anúncios etc) são instrumentos que se apresentam como veículos de informação e educação ambiental da sociedade.
 
Oficina “Road to Rio e Rio+Veg: Jovens rumo à Rio+20” >> Virada Sustentável3/6, domingo, 15h :: Shopping Pátio PaulistaRoad to Rio+20 e Rio+Veg são dois movimentos construídos por jovens e que têm o objetivo de facilitar a participação ativa desse público na Rio+20, bem como na posterior construção dos resultados acordados pela Conferência. Tendo isso em vista o Rio+20, ativistas do Road to Rio+20 e do Rio+Veg se juntaram para elaborar uma oficina, tendo como objetivo principal preparar os jovens que queiram participar, direta ou indiretamente, nesse importante evento.
 
Palestra “A Sabedoria da Natureza” >> Virada Sustentável3/6, domingo, 17h, Shopping Pátio PaulistaPalestra em torno do tema “A Sabedoria da Natureza”, em que o escritor e jornalista Lauro Henriques Jr. apresenta o pensamento de alguns dos grandes nomes da sustentabilidade e da consciência espiritual no mundo atualmente, como Leonardo Boff e Satish Kumar, mostrando como a natureza pode ser a grande mestra para o mundo de hoje. Nesse sentido, a palestra segue os mesmos moldes desta já realizada na 2ª Semana Cultura das Árvores, em 2011:
http://semanaculturalarvores.wordpress.com/2011/09/16/palavras-poder/
Papos & Ideias “Liderança Sustentável”, com Ricardo Voltolini4/6, segunda-feira, 19h30 :: Shopping IbirapueraO consultor, jornalista e publisher da revista Idéia Sustentável conversa com o público sobre a Plataforma Liderança Sustentável, projeto que visa inspirar, formar e conectar líderes para a sustentabilidade. O projeto se originou do seu livro Conversas com Líderes Sustentáveis, da Editora Senac.  A obra apresenta entrevistas inéditas com dez dos mais importantes empresários que atuam no país, e procura traçar o perfil do líder em sustentabilidade, como ele se forma e que desafios enfrenta no dia-a-dia. Conheça experiências reais de vida e entenda a importância de aplicar estes conceitos na gestão de empresas.
Papos & Ideias “Da teoria à prática: reflexões sobre a importância de atitudes sustentáveis” 5/6, terça-feira, 19h30 :: Shopping Pátio Paulista O entendimento do conceito de sustentabilidade, da legislação ambiental e as estratégias para a capacitação dos empreendedores são caminhos importantes para o surgimento de um novo modelo social e econômico. O prof. João Salvador Furtado (Instituto Jatobás) apresenta o livro Os 50 + importantes livros em sustentabilidade e os fundamentos para o desenvolvimento sustentável, Adriana Ponce (Santos & Cerântola Sociedade de Advogados) aborda o tema Legislação Ambiental, e Ademar Bueno (Lab. de Inovação, Empreendedorismo e Sustentabilidade - EESP FGV) apresenta as possibilidades do empreendedorismo com foco na inovação e sustentabilidade.
Papos & Ideias sobre “Alimentação Sustentável”, com Sergio Lerrer, Alberto Ozolins e William Ribeiro5/6, terça-feira, 19h30 :: Shopping Ibirapuera Além do chamado food service, os palestrantes abordam nesse debate questões como comida saudável, orgânica e identidade de sustentabilidade nos serviços de alimentação, passando por outros temas como slow food, questões sanitárias, agrotóxicos e alimentação escolar. Sergio Lerrer é jornalista responsável pelo portal Gastronomia Sustentável, Alberto Ozolins é engenheiro e consultor em produção rural sustentável e William Ribeiro é chef  gastronômico especializado na relação entre alimentação e meio ambiente.
Papos e Ideias “A cultura como inspiração para a sustentabilidade”, com André Palhano, organizador da Virada Sustentável6/6, às 19h30 :: Shopping IbirapueraArte e cultura têm papel importante na disseminação dos conceitos de sustentabilidade na medida em que emocionam, inspiram e conscientizam a sociedade. Neste debate, André Palhano, Ana Maria Rebouças (curadora do Centro Cultural São Paulo) e artistas convidados como Mister (Coletivo Basurama) e Bijari, falam sobre o conteúdo de espetáculos e eventos artísticos relacionados ao tema, além de discutir o impacto socioambiental destas ações.


CAMPINAS (SP)__________________________________________________________
Papos & Ideias “Design inteligente e soluções mais sustentáveis”, com Juliana Boer, da Cria Arquitetura 4/6, segunda-feira, 19h :: Iguatemi Campinas                  
A realidade contemporânea baseia-se cada vez mais no predomínio do ambiente construído, no crescimento descontrolado das metrópoles, no uso de materiais e técnicas com elevado custo energético e alto grau de desperdício. Design Inteligente e mais Sustentável direciona o projeto e a especificação de materiais e tecnologias, de modo que o espaço gere menos impacto ao meio ambiente e que melhore a qualidade de vida de seus habitantes e/ou usuários.
Papos & Ideias “Sustentabilidade Planetária: Histórico, Atualidades e Perspectivas de Futuro”, com o professor e fundador da Gaia Social, Dr. Edison Carvalho5/6, terça-feira, 19h :: Iguatemi CampinasNesta palestra, serão discutidos vários marcos de sustentabilidade ao longo do tempo geológico, na pré-história e nas civilizações. Haverá  ênfase nas diversas maneiras de diferentes sociedades se relacionarem com a natureza (divinização, contemplação, apropriação etc.), resultando na sociedade urbana, industrial  e de consumo. Por fim serão apresentados os desafios, as oportunidades e os  instrumentais para a gestão da sustentabilidade nas próximas décadas.
Papos & Ideias “Eco 92 para a Rio+20: 20 anos depois”, com o Professor José Gonçales Junior9/6, sábado, 16h :: Iguatemi Campinas                
Geógrafo e ambientalista, o Prof. José Gonçales Junior participa de diversas redes com foco em desenvolvimento sustentável. Ele promove uma breve reflexão dos 20 anos de evolução dos debates mundiais sobre as mais graves questões socioambientais mundiais entre a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (Rio Eco 1992) e a atual Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).



RIO DE JANEIRO (RJ)________________________
Papos & Ideias sobre “De qual sustentabilidade estamos falando?”, com Lara Moutinho da Costa
4/6, segunda-feira, 20h :: Shopping RioSulNeste bate-papo, Lara Moutinho abordará o tema com base na Avaliação Ecossistêmica do Milênio (fonte: documentário da ONU), que diz que 60% dos ecossistemas do planeta já estão destruídos ou seriamente deteriorados e, dentro de pouco tempo o planeta não terá mais condições de fornecer bens naturais para o consumo humano. Mais do que uma crise ambiental, o que vivemos é um dilema civilizatório: ou mudamos a nossa maneira de nos desenvolver e progredir, ou não haverá futuro. Lara é bióloga e mestre em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro– Programa EICOS-UFRJ.
Papos & Ideias sobre “Tecnologias da Comunicação e Educação Ambiental: caminhos para o envolvimento sustentável” Gryner, da ONG, TemQuemQueira5/6, terça-feira, 19h :: Botafogo Praia ShoppingNo dia do meio ambiente, participe deste bate-papo entre Ana Luiza de Abreu que é Consultora de Gestão e Pesquisa Socioambiental e Cultural, da Ecology and Environment do Brasil e Adriana Gryner, da ONG, TemQuemQueira. O tema abordado tem por objetivo refletir sobre a necessidade da utilização da Comunicação Social como estratégia de sensibilização dos indivíduos em prol da Sustentabilidade, a importância das tecnologias (fotografia, vídeo, propaganda, TV e demais mídias impressas e virtuais) para o envolvimento do indivíduos em gerar mudanças no ambiente em que vivem.
Papos & Ideias sobre “Na origem do homem, um passarinho”, com Luciana Savaget5/6, terça-feira, 19h30 :: Shopping RioSulA jornalista e escritora contará sobre a viagem que fez ao Equador para uma reportagem especial do programa Globo Repórter. A pauta era investigar denúncias contra o patrimônio cultural e ecológico na região, além de apurar a matança de tartarugas gigantes por contrabandistas. A partir das experiências que viveu, Luciana Savaget criou uma ficção cheia de mistérios no livro Operação Galápagos (Ed. Planeta). Repleto de informações sobre o arquipélago, Luciana propõe uma reflexão sobre a importância de preservarmos o meio ambiente.

RECIFE (PE)__________________________________

Papos & Idéias sobre “Educação para sustentabilidade e economia criativa” com Cristiano Carrilho, Gestor de Educação Ambiental da SEMAS, e Verônica Ribeiro, Gestora de Segmentos Econômicos9/6, sábado, 16h :: Shopping RecifeEducação para sustentabilidade e economia criativa não se restringe a produtos, serviços e tecnologias, mas engloba também processos, modelos de negócios, de gestão, entre outros.  Cristiano Carrilho e Verônica Ribeiro irão abordar ações e práticas do governo de Pernambuco em matéria de educação ambiental, sustentabilidade, desenvolvimento econômico e economia criativa.

FORTALEZA (CE)_______________________
Papos&Idéias sobre  “Princípios da Permacultura e Design Útil”, com Chico Neto4/6, segunda-feira, 19h :: Shopping Iguatemi FortalezaChico Neto compartilhará sua recente experiência em Várzea Queimada, interior do Piauí, na segunda edição do projeto social A Gente Transforma, abordando os princípios de permacultura e design útil, a partir dos conceitos de design e sustentabilidade. Chico Neto é publicitário, especialista em Design e professor do Curso de Publicidade na UFC, onde coordena o projeto de extensão Academia de Idéias, dedicado à promoção de portfolios acadêmicos
Minicurso “O Relatório de Sustentabilidade como Ferramenta de Gestão para as empresas”, com Maiso Dias5/6, terça-feira, 19h :: Shopping Iguatemi FortalezaA gestão empresarial de referência deve atuar de forma efetiva, preocupando-se em utilizar os recursos disponíveis na organização em busca do melhor resultado. Com isso, surge a consciência dos gestores e dos diversos públicos envolvidos em conhecer, relatar, comunicar e evidenciar as práticas adotadas pelas empresas em “satisfazer as necessidades do presente, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades”. O Relatório de Sustentabilidade cumpre este papel e é o que convidamos você a conhecer pelas mãos do especialista no assunto.

NATAL (RN)______________________________
______
Papos & Ideias “Debatendo Natal: Sustentabilidade”, coordenado por Antonino Condorelli6/6, quarta-feira, 19h :: Shopping Midway MallCiclo de discussões para debater, de forma livre e apartidária, os principais problemas da capital potiguar, que foram identificados pelos próprios cidadãos em um levantamento feito pelo grupo Diálogos Criativos entre janeiro e março de 2012. Os participantes serão convidados a formular propostas que serão apresentadas como demandas da sociedade aos candidatos, à Prefeitura e à Câmara Municipal nas eleições de 2012.

PORTO ALEGRE (RS)_______________
______________
Papos & Ideias “Descarte Consciente de Medicamentos e o Meio Ambiente”, com José Francisco Agostini Roxo e Louise Seixas4/6, segunda-feira, 19h30 :: Praia de Belas ShoppingÉ comprovado que o impacto que os resíduos de medicamentos causam ao meio ambiente é um grave problema. A preocupação das empresas que participam dessa cadeia produtiva deu origem ao Programa Descarte Consciente. Neste bate-papo, será apresentado o programa e a Estação Coletora de Medicamentos - ECOMED.
MANAUS (AM)____________________________________________________________
Oficina de produção de carteiras com embalagens tetra pak, com Paulo Trindade  3/6, domingo, 17h :: Manauara Shopping  O que fazer com a embalagem tetra pak quando o suco, o leite, o extrato de tomate e outros produtos conservados nesse tipo de caixa acabam? Paulo Trindade, membro do Laboratório de Moda do Coletivo Difusão/Fora do Eixo, ensinará na oficina como reaproveitar esse material, por meio da confecção de porta moedas e carteiras.
Oficina de produção de objetos decorativos com sobras de tecidos, com Cristiane Batista  4/6, segunda-feira, 17h :: Manauara Shopping Nessa edição especial do projeto Santa Cris Convida, a jornalista e estilista Cristiane Batista mostrará que os restos de tecidos podem ser transformados em criativos e coloridos objetos de decoração.
Papos & Ideias com Dr. Marcio Oliveira sobre “Abertura de estradas na Amazônia x perda de diversidade de abelhas”5/6, terça-feira, 19h :: Manauara Shopping A abertura de rodovias é uma das principais causas de desmatamento da Amazônia. Atualmente, o Governo Federal está recuperando várias delas na região, com destaque para as BRs 163, 230 e 319. O fato tem originado um desequilíbrio na reprodução de alguns seres da fauna e flora, com destaque para as abelhas das orquídeas, que são essencialmente florestais e as principais polinizadoras dessa espécie de planta e de muitas outras existentes na região. Neste bate-papo, o assunto será discutido pelo Dr. Marcio Oliveira em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA.

BELÉM (PA)_________

Papos & Ideias sobre “Desenvolvimento Urbano Sustentável: o Papel dos Cidadãos”
5/6, terça-feira, 19h :: Boulevard Shopping BelémNesse debate, será abordado como aliar desenvolvimento sem agredir o meio ambiente. Esta talvez seja umas das maiores dúvidas da atualidade. O mundo acompanha o crescimento populacional, o inchaço de grandes cidades, a crise econômica de países considerados estáveis, a escassez de alimentos, a formação de megalópoles.
MiniCurso com Projeto Seletiva sobre Coleta Seletiva em Casa7/6, quinta-feira, 19h :: Boulevard Shopping BelémMuitas vezes, quando se fala em coleta seletiva, nos lembramos daqueles contêineres coloridos, e que nos confundem na hora em que temos que jogar fora alguma coisa. Este minicurso ensina práticas fáceis de separar o lixo doméstico.
Papos & Ideais “Pré-Clean Up Day Belém”, com Igor Vianna, Escola de Canoagem Marenteza 9/6, sábado, 15h :: Boulevard Shopping BelémDiscussão esportiva, cultural e sócio-ambiental sobre a preservação e limpeza de rio e mares. Evento que acontece em mais de 120 paises para disseminar a idéia e despertar o maior número possível de pessoas para a preservação dos nossos recursos naturais para uma reflexão sobre o papel de cada com o meio ambiente.

Equidade de gênero é indispensável para desenvolvimento sustentável, defende ministro


Carolina Gonçalves*

Repórter da Agência Brasil

Brasília - O ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse que a equidade de gêneros é indispensável para o desenvolvimento sustentável. “O documento final da Rio+20 em negociação inclui numerosas referências à questão de gênero. Várias dessas referências têm consenso entre os países. Outras questões são mais difíceis, como a transversalidade da questão de gênero e a exigência da eliminação de políticas discriminatórias que ainda existem em muitos países, em função de culturas diferentes”, disse o ministro durante um debate sobre o papel das mulheres na implantação de um novo modelo de desenvolvimento e a participação desse segmento na Rio+20.
“O Brasil vai buscar conciliar posições. Como bandeira brasileira estaremos sempre na vanguarda para alcançar os resultados mais ambiciosos possíveis”, garantiu o ministro.
Patriota lembrou que o papel das mulheres nessa construção já está previsto em importantes acordos internacionais, como a Declaração do Milênio e a Agenda 21, resultado da Rio92. O ministro das Relações Exteriores defendeu que a temática “esteja incluída de forma integral nos debates da conferência”. Nos eventos paralelos, estão previstos debates, como o Fórum das Mulheres. No dia 21 de junho, está prevista a realização da Cúpula das Mulheres Chefes de Estado.
A ministra de Meio Ambiente, Izabella Teixeira, voltou a afirmar que a Rio+20 é uma “conferência de partida e não de chegada, como foi a Rio 92”. “Trabalhamos anos para consolidar documentos. Agora, vamos partir para buscar futuro melhor e a mulher tem papel fundamental nesse processo.”
A ministra anunciou ainda que o governo vai divulgar amanhã (31), no Rio de Janeiro, um estudo com foco no consumo sustentável que reforça o reconhecimento da importância do papel da mulher nesse processo. “A pesquisa mostra que é possível influenciar consumo a partir das mulheres. E ninguém está falando para que deixem de consumir, mas para consumir melhor, sem armadilhas do marketing do asterisco. Outro ponto é que tem um campo enorme para trabalhar a questão dos negócios sustentáveis tendo a mulher em destaque”, adiantou.
A pesquisa “Mulheres e consumo: cenário atual e tendências futuras”, foi realizada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) em parceria com empresas privadas. O estudo é qualitativo e foca na relação entre consumo de massa e sustentabilidade, com o obejtivo de subsidiar a estratégia de programas educacionais sobre consumo consciente e responsável.

*A matéria foi ampliada às 14h31   //  Edição: Lílian Beraldo

Irradiação pode acelerar envelhecimento de cachaça
Da Assessoria de Imprensa do Cena – contato@engenhodanoticia.com.br
Pesquisa do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena) da USP, em Piracicaba, aponta que o processo de irradiação pode ser utilizado como um método alternativo de envelhecimento de cachaça. A técnica acelera o processo convencional de envelhecimento e permite apurar a bebida instantaneamente. No método tradicional, que consiste na interação do líquido com madeiras através do armazenamento em barris por longos períodos, o processo pode levar até três anos.
Cachaça irradiada tem características similares a bebida envelhecida em barris
“O envelhecimento é uma das etapas mais importantes para a obtenção de uma cachaça de alta qualidade”, explica o professor Valter Arthur, do Laboratório de Radiobiologia e Meio Ambiente do Cena, que coordena a pesquisa. “As reações que ocorrem durante esse tempo favorecem a formação de compostos que influenciam no aroma, sabor e aparência da bebida.”
Na pesquisa é usado o processo de irradiação, que consiste em emitir uma onda de radiação sobre o produto, que modifica suas características.
A pesquisa aponta, baseada também em experimentos realizados em outros laboratórios, que o uso da irradiação numa dose 0,3 kilogray (quantidade de energia absorvida pelo material), considerada relativamente baixa, pode acelerar o processo de envelhecimento de cachaça. “Com essa metodologia, obtivemos uma cachaça similar à obtida pelo sistema convencional, quando comparado aos mesmos parâmetros”, comenta Arthur.
Outra vantagem apresentada é a diminuição dos aldeídos, componente responsável pela famigerada dor de cabeça. “Conseguimos uma diminuição expressiva desse composto químico que está diretamente relacionado ao desconforto que se sente ao ingerir a bebida numa dose além do limite”, disse Juliana Angelo Pires, pós-graduanda do laboratório de Radiobiologia e Ambiente.
Aspecto
Porém, para o aprimoramento do aspecto visual da bebida, a cachaça irradiada também vem sofrendo um período de envelhecimento. “Os apreciadores ainda preferem o destilado de cana-de-açúcar com a cor amarelada. Assim, ainda estamos utilizando a bebida semienvelhecida em tonéis de amendoim, pois essa coloração é normalmente obtida com a ajuda da madeira”.
Pesquisa com métodos alternativos, como adição de caramelo, para a coloração da cachaça já está sendo realizada para eliminar a necessidade da estocagem em tonéis de madeira. “Além disso, já estamos incorporando extratos vegetais como própolis, urucum e outros para dar essa coloração à cachaça e incrementar atributos com propriedades biológicas”, destaca Arthur.
“Consequentemente, isso aumentará ainda mais a viabilidade prática e econômica do processo de irradiação em larga escala de cachaça, pois somente o produto final, ou seja, as cachaças já engarrafadas e encaixotadas serão irradiadas para o envelhecimento”, conclui o professor.
O trabalho dos pesquisadores do Cena dá continuidade às conclusões de estudos realizados no Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, em Piracicaba, do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), da  Faculdade de Tecnologia de Piracicaba (Fatec) e no laboratório de Irradiação de Alimentos e Radioentomologia do próprio Cena.
Imagem: Marcelo Basso, da Assessoria de Imprensa do Cena
Mais informações:             (19) 3302-0100      , na Assessoria de Imprensa do Cena

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Reserva ambiental necessita de políticas para preservação


Alícia Nascimento Aguiar, da Assessoria de Comunicação da Esalq – email imprensa@esalq.usp.br
Estudo avaliou o Núcleo Caraguatatuba do Parque Estadual da Serra do Mar

A gestão da presença de populações humanas em uma Unidade de Conservação (UC) é analisada em pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP que apresenta as restrições ao uso e acesso aos recursos naturais no interior do Núcleo Caraguatatuba do Parque Estadual da Serra do Mar (PESM), no litoral norte de São Paulo. O trabalho da ecóloga Carolina dos Santos Daher defende o fortalecimento de políticas públicas para diminuir os conflitos de interesse, o número de infrações dentro das áreas protegidas e a necessidade de conservação do ecossistema.
A pesquisa apresenta uma análise do Programa de Interação Socioambiental do Plano de Manejo do PESM, onde são previstos temas de concentração estratégica para aproximar a comunidade do Parque. Um deles tem a finalidade de resolução de conflitos entre residentes e o órgão gestor da área protegida. “Os benefícios que o trabalho trará ao setor será o auxílio de manejo do Parque, tanto para a necessidade de interação com os moradores ocupantes da UC, quanto para as atividades de monitoramento e fiscalização de suas áreas, de forma a mapeá-las onde mais ocorrem as infrações ambientais e os fatores que levam a sua ocorrência, indicando ações de manejo para trabalhar com a população existente no interior do Parque”, destaca Carolina.
O estudo relata que os dados constantes nos autos de infração ambiental aplicados pela Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo são tabulados de forma a se obter a espacialização em Ambiente de Sistema de Informações Geográficas (SIG). Essa informação gerou mapas georreferenciados das infrações ocorridas entre 1988 e 2011 na UC. Dessa forma, o trabalho identificou em quais regiões do Núcleo acontecem essas infrações e se possuem alguma relação com bairros, municípios abrangidos pelo Núcleo.
A análise ambém apontou como as estradas, trilhas e vias de acesso interferem na localização das infrações e se as áreas limítrofes do Parque com as áreas urbanizadas (ou rurais) interferem na ocorrência das infrações. “Com base nos resultados obtidos pode-se afirmar que as vias, estradas e trilhas influenciam na ocorrência das infrações, assim como as áreas limítrofes do Parque. Da mesma forma, percebe-se que as infrações ocorrem em sua maioria na Zona de Ocupação Temporária”, salienta a pesquisadora.
Presença
De acordo com o Plano de Manejo do Parque, de 2006, as ocupações e demais atividades afetam, atualmente, algo em torno de 6% de sua área total. Muitas vezes, essa presença humana acarreta conflitos e sérias ameaças ao ecossistema. Esses impasses ocorrem, também, pela demora da justiça em definir as ações indenizatórias aos moradores que devem ser desapropriados. “A população humana existente tanto no interior, quanto no entorno da UC e os órgãos gestores, não dialogam efetivamente, o que acarreta uma grande lacuna entre os dois. A comunidade acaba ficando refratária aos argumentos para a preservação da UC e, como muitos outros setores da sociedade, a interpretam como um impedimento ao desenvolvimento regional”, alerta a ecóloga.
O município de Caraguatatuba, por situações logísticas e funcionais, consolidou-se como principal entreposto de bens e serviços, cumprindo o papel de ligação entre o litoral e o planalto (região do Vale do Paraíba), situação favorável à atração de novos investimentos. Tais características socioeconômicas fazem com que o município apresente condicionantes e indutores demográficos bastante diferenciados em relação ao conjunto da região, indicando uma dinâmica populacional diferenciada que poderá se refletir em cenários demográficos futuros.
Fica evidente a necessidade de maior desenvolvimento das estratégias previstas pelo Programa de Interação Socioambiental nas áreas de ocupação temporária, para que os residentes conheçam a UC e participem do Conselho Consultivo, para se articularem quanto às normas e leis pertinentes à sua realidade. “Quando a comunidade não participa de forma efetiva, ela não se sente envolvida com o meio onde vive”, conclui Carolina.
A pesquisadora afirma, ainda, ser muito importante futuras pesquisas para averiguar a eficiência da aplicação dos Autos de Infração Ambiental (AIA) emitidos pela Polícia Ambiental nessas áreas do Parque, para averiguar quanto tempo demora desde a aplicação do AIA até a efetiva recuperação do dano ambiental pelo infrator. O trabalho “Ocupações humanas no Parque Estadual da Serra do Mar: análise e espacialização dos autos de infração ambiental no Núcleo de Caraguatatuba”, foi orientado pela professora Teresa Cristina Magro, do Departamento de Ciências Florestais (LCF) da Esalq, no programa de pós-graduação (PPG) em Recursos Florestais.
Imagem: Diego Campos

terça-feira, 22 de maio de 2012

Reciclagem não impede destruição do meio ambiente


Por Valéria Dias - valdias@usp.br
Sociedade de consumo cria necessidades que nem sempre são, de fato, necessárias
A reciclagem de garrafas PET, vidros, alumínio e papel ajuda a retardar a degradação ambiental, porém, não resolve o principal problema ambiental vivenciado atualmente pelo planeta: o consumo desenfreado de recursos naturais. “A reciclagem não vai salvar o planeta. Ela é apenas um paliativo que retarda a degradação ambiental”, alerta o pesquisador Hélio Francisco Corrêa Lino.
Em seu doutorado pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, o pesquisador fez um mapeamento extenso das cadeias produtivas de latas de alumínio, papel, garrafas de polipolietileno-tereftalato (PET) e vidro, a partir da indústria primária (desde a extração dos recursos naturais necessários para a fabricação, chegando ao produto final) até a indústria secundária (as responsáveis pela reciclagem), passando pelas associações de catadores de material reciclável.
“Quero deixar claro que sou favorável às atividades de reciclagem. Mas sou totalmente contra o senso comum de que apenas a reciclagem, por si só, vai impedir a destruição do meio ambiente. No máximo, vai retardar essa destruição”, ressalta o pesquisador, que atua como professor universitário na área de administração e economia.
Cadeias produtivas
A extensão da análise realizada para o doutorado incluiu todo o processo produtivo, as plantas industriais, os insumos, e os produtores envolvidos na indústria primária, além das relações econômicas entre os setores primário e secundário dos quatro setores estudados. “Existe um grande poder econômico por trás dessas atividades”, comenta.
No casos das garrafas PET, a análise do setor primário incluiu as refinarias de petróleo, postos de extração e petroquímicas. “O petróleo é importante para esta indústria porque as fibras sintéticas utilizadas em sua produção são produzidas a partir da transformação de derivados da nafta petroquímica”, explica. Em relação ao vidro, a pesquisa listou todas as empresas produtoras do material no Brasil. O mesmo foi feito em relação ao papel e às latas de alumínio.
Lino constatou que nas quatro cadeias produtivas, a produção secundária é sempre subordinada à primária. “No caso das latas de alumínio, que tem alto valor agregado, o preço no setor secundário depende daquele praticado no setor primário. A indústria secundária não vai sucatear a primária. E a extração de bauxita para produzir latinhas de alumínio vai continuar”, explica. “Quanto as garrafas PET, as maiores recicladoras são as grandes consumidoras deste tipo de embalagem. Podemos observar um lucro indireto”, diz, lembrando que o controle dessas indústrias é concentrado nos quatro setores, ou seja, é feito por poucas empresas, sendo muitas de capital estrangeiro.
Já a maior parte da indústria de papel utiliza madeira de reflorestamento de pinus e eucalipto. “São árvores tradicionalmente conhecidas como grandes bebedoras de água. Podem drenar o lençol freático e prejudicam a flora e fauna dos locais reflorestados”, diz. Outro ponto desta indústria é que a reciclagem faz o papel perder a qualidade, além do problema da fácil contaminação do produto.
A indústria de vidro utiliza os próprios cacos como insumo de produção, além de os cacos protegerem os fornos durante a queima, o que leva a produção de um vidro de melhor qualidade. “A indústria tem muito interesse em reciclar, mas o grande problema é a coleta, pelo vidro ser pesado e poder machucar”, aponta Corrêa Lino.
O que a humanidade quer?
De acordo com Corrêa Lino, a sociedade não está levando em conta um ponto fundamental desta discussão. “O planeta não suporta 7 bilhões de habitantes. Em uma sociedade de consumo de massa, como a que vivemos, o crescimento populacional gera demanda por consumo. Consequentemente, isso leva a um aumento da extração de recursos naturais usados para a manufatura produtos”, explica. Ele lembra que cerca de 1 bilhão de pessoas vivem atualmente abaixo da miséria absoluta em todo o mundo. E que impacto do crescimento econômico dos países é muito alto para o consumo mundial.
“É muito fácil falar sobre proteção ao meio ambiente. Difícil mesmo é abrir mão do conforto, reduzir o consumo, evitar o desperdício”, critica o pesquisador. Para ele, iniciativas pessoais neste sentido são bem-vindas. “A sociedade de consumo de massa acaba criando necessidades que nem sempre são, de fato, necessárias.”
Para o pesquisador, um caminho possível seria o controle da expansão da população mundial por meio de um planejamento familiar em escala global. “É preciso também que a humanidade se questione sobre o que ela quer”, finaliza.
O trabalho tomou como base material coletado em sites oficiais das industrias, tanto do primário como secundário, além de algumas visitas a determinados setores. As quatro vertentes foram escolhidas por serem as principais no Brasil. A pesquisa A indústria de reciclagem e a questão ambiental, foi apresentada em fevereiro de 2011 sob a orientação da professora Suely Robles Reis de Queiroz.
Imagem: Marcos Santos / USP Imagens
Mais informações: email heva@uol.com.br, com Hélio Francisco Corrêa Lino

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Senadores aprovam projeto de lei que beneficia catadores de material reciclável


 
A Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal (CAS) votou, em caráter definitivo, emenda à Lei nº 8.212/1991 que dispõe sobre Planos de Benefícios da Previdência Social aos catadores de material reciclável, incluindo-os entre os segurados especiais da Previdência. A proposição teve a relatoria da Senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO).
 
O Projeto de Lei nº 279, de 2011, é autoria do Senador Rodrigo
Rollemberg que justificou a sua iniciativa em buscar dar maior eficácia ao princípio da equidade no custeio da seguridade social, pois o Estado e a sociedade que participam do seu custeio devem estar submetidos a padrões justos e razoáveis, cada um dentro das suas possibilidades.
Aponta ainda, que seja crescente o número de trabalhadores que estão entregues à informalidade e, conseqüentemente, à exclusão social. Esclarece existirem hoje no Brasil cerca de 500 mil catadores de papel, que trabalham com a coleta de lixo para sobreviver e que recebem por dia de trabalho algo em torno de 2 a 5 reais. O Senador defende a redução da alíquota de contribuição para a categoria, o que trará aumento da inclusão previdenciária e do exercício da cidadania por parte desses trabalhadores.
 
Para Senadora Lúcia Vânia (PSDB_GO), na legislação previdenciária em vigor, a pessoa que trabalha com coleta de lixo inclui-se na categoria “contribuinte individual” pessoa física que exerce, por conta própria, atividade econômica de natureza urbana, com fins lucrativos, ou não, para com a Previdência Social. “Assim, o catador de lixo deveria contribuir com alíquota de 11%, caso contribua sobre o salário mínimo. Caso o salário-de-contribuição seja superior ao salário mínimo, o percentual é de 20% sobre a sua renda” justificou a Senadora.
 
 
Lúcia Vânia ressaltou, ainda que, este projeto de lei vai dar maior eficácia ao princípio da equidade, na forma de participação no custeio da seguridade social, na medida em que coloca o catador de lixo como segurado especial da Previdência Social. Tal princípio prega que o Estado e toda a sociedade deveriam participar, de forma direta ou indireta, garantindo condições dignas de vida e trabalho à população catadora de lixo, bem como apoiando a gestão e destinação adequadas de resíduos sólidos nos municípios brasileiros.
 
O governo federal deverá realizar campanhas para conscientização da categoria, para que contribuam para o sistema, pois somente assim garantirão suas aposentarias pelo Regime Geral da Previdência Social.
 
Com a aprovação do projeto, haverá incentivo para que todos os catadores passem a contribuir com a Previdência Social, fortalecendo o sistema, diminuindo o déficit previdenciário e aumentando a cidadania dessas pessoas. O projeto segue agora para a Câmara dos Deputados, onde será apreciado e colocado em votação por aquele parlamento.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Governo quer ampliar Abrolhos e criar refúgio da baleia jubarte



Audiências públicas começam nesta quarta (16) e vão até sábado (19) na Bahia e Espírito Santo
Brasília (15/05/2012) – O arquipélago de Abrolhos, no litoral da Bahia, maior banco de corais do Atlântico Sul, e a baleia jubarte, espécie ameaçada de extinção, que passa boa parte do ano nas águas em torno de Abrolhos, ganharão mais proteção.
O governo federal vai ampliar o Parque Nacional Marinho de Abrolhos e criar o Refúgio de Vida Silvestre Baleia Jubarte. Além disso, instituirá a Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) da Foz do Rio Doce, para atender famílias de pescadores da região do litoral entre a Bahia e o Espírito Santo.
As consultas públicas, uma das últimas etapas para a ampliação e criação das unidades de conservação, serão realizadas nestas quarta (16) e quinta (17), nas cidades baianas de Porto Seguro e Caravelas, e sexta (18) e sábado (19), nos municípios capixabas de São Mateus e Linhares.
As consultas são organizadas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia do Ministério do Meio Ambiente responsável pela gestão das unidades de conservação. Com a ampliação e criação dessas unidades, a área protegida marinha no Brasil, que está em torno de apenas 0,5%, passará para 3%.
Propostas
Pela proposta que será discutida com a comunidade, o parque marinho de Abrolhos terá a sua área original ampliada em dez vezes, passando dos atuais 87.943 hectares para 891.872 hectares. Em sua volta, num raio de 500 Km2, será criada ainda a Área de Proteção Ambiental do Banco de Abrolhos, que se estenderá por toda a costa que vai de Caravelas, na Bahia, a Linhares, no Espírito Santo.
Já o Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Baleia Jubarte ficará na porção mais ao sul, quase na divisa do litoral da Bahia com Espírito Santo. Terá, ao todo, 765.261 hectares, área suficiente para abrigar a espécie, que todos os anos se desloca do extremo sul do Atlântico para se reproduzir nas águas mornas de Abrolhos.
A criação da RDS da Foz do Rio Doce é uma reivindicação da Associação de Pescadores de Regência e da Associação de Pescadores e Assemelhados de Povoação, município de Linhares. O objetivo principal é a proteção das comunidades tradicionais pesqueiras e cacaueiras da região. A unidade terá cerca de 43.000 hectares, sendo 20% em terra e 80% em ambiente marinho, em Linhares e Aracruz, no Espírito Santo.
Participarão das consultas públicas ambientalistas, pescadores artesanais, comunidade tradicional do litoral baiano, empresários, representantes das prefeituras locais e de universidades, além de dirigentes dos governos estadual e federal.
SERVIÇO:
As reuniões ocorrerão nos municípios, datas, horários e locais descritos a seguir:
· Porto Seguro/BA: 16 de Maio de 2012, às 18hs, na Casa da Cultura, Rua XV de novembro s/n - Bairro Pacatá
· Caravelas/BA: 17 de Maio de 2012, às 16h, na Sede do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, localizado na Praia do Kitongo, s/n
· São Mateus/ES: 18 de Maio de 2012, às 16h, no Auditório do SESC, localizado na Rua Coronel Constantino Cunha, 1738 - Bairro Chácara do Morro
· Linhares, distrito de Regência: 19 de Maio de 2012, às 14h, no Centro Ecológico de Regência – Projeto Tamar, localizado na Rua Espírito Santo s/nº, Regência

SAIBA MAIS:
Clique no link abaixo para ter detalhes das propostas, estudos, mapas e outros dados:

Bambu é adotado como material de construção sustentável



Alicia Nascimento Aguiar, da Assessoria de Comunicação da Esalq, emailalicia.esalq@usp.br
Rústico e de uso permanente sob a ótica do manejo sustentável, o bambu é pesquisado na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, em Piracicaba, para ser utilizado como matéria-prima estrutural, com aplicação social. A ideia é agregar valor à planta, fabricando produtos sustentáveis de alta qualidade e de baixo custo, que possam ser usados ou produzidos por comunidades carentes e rurais.
Bambu necessita ser processado para substituir madeira em estruturas
De acordo com a doutoranda Claudia de Lima Nogueira, do Programa de Pós-graduação (PPG) em Recursos Florestais, o bambu precisa ser processado para que possa ser empregado da mesma maneira que se utiliza a madeira em estruturas. “Há necessidade de colocar a ciência na prática, o que significa transferir tecnologias desenvolvidas nas universidades para as comunidades e para o setor produtivo.”
O estudo relata que a falta de informações sobre o bambu, seu alto teor de sílica e o fato dele ser oco, induzem a escolha de outros materiais, mesmo os não amigáveis ao ambiente, para usos generalizados, porém o bambu é um material oportuno e adequado. O Laboratório de Engenharia da Madeira, do Departamento de Ciências Florestais (LCF) da Esalq, onde foi realizado grande parte do estudo, possui duas linhas de trabalho com bambu – a primeira baseada no uso de colmos, e a segunda, baseada no uso do bambu industrializado na forma de laminado colado.
O projeto é baseado, fundamentalmente, nas análises de amostras retiradas da matéria-prima e dos produtos obtidos em diferentes fases de transformações físicas ou mecânicas, utilizando ensaios mecânicos estruturados, microscopia eletrônica de varredura, microscopia óptica, micro análise de Raios-X a baixos ângulos e espectroscopia. A proposta inicial, de fabricar e testar a resistência de vigas estruturais à base de bambu laminado colado, estendeu-se para o estudo da microestrutura da matéria prima e do produto resultante. Dessa forma, atualmente, a pesquisa busca na microestrutura explicações para a elevada variabilidade encontrada nos resultados dos ensaios mecânicos realizados nas amostras, a fim de identificar variáveis da matéria prima e do processo de fabricação que influenciam diretamente na qualidade do painel, principalmente na adesão entre as lâminas.
VarreduraA utilização do microscópio eletrônico de varredura possibilitou o entendimento da anatomia do colmo e, principalmente, ajudou na compreensão da ancoragem dos adesivos no tecido lenhoso do bambu. Assim, está se tornando mais claro o fenômeno da adesão que motiva ensaios exploratórios e práticos generalizados para culminar no aumento da resistência e da rigidez de peças laminadas coladas de grandes dimensões.
“Os resultados estão sendo observados para explicar a alta variabilidade das propriedades mecânicas oriundas dos colmos, das ripas, das lâminas e das vigas com intenção de diferenciar a variabilidade natural do material, daquela introduzida pelo processo de industrialização”, explica a pesquisadora. “O aprimoramento das técnicas de processamento mecânico do material, com ênfase na qualidade das superfícies a serem coladas, tem sido tratado como um tema básico para unir peças a baixa pressão”, explica a pesquisadora.
Cláudia destaca, ainda, que a produção de painéis e vigas de bambu deve ser otimizada em função do grande risco que existe de se perder energia demasiada no processo de fabricação. Ela explica que o desperdício de energia redunda em uma imensa dificuldade de se usar o bambu laminado colado em ambientes carentes. “Quando isso acontece, a solução remendada é o uso do colmo como peça estrutural. O uso eficaz e seguro de colmos em estruturas não convencionais será o assunto do meu programa de pós-doutorado dentro de parcerias do Laboratório de Engenharia da Madeira com instituições internacionais”, conclui a doutoranda.
Além de ser matriculada no Programa de Pós-Graduação (PPG) em Recursos Florestais, a pesquisadora, que é orientada pelo professor José Nivaldo Garcia, do LCF, também está envolvida na co-orientação de alunos de graduação da Esalq e de outras escolas em pesquisas de iniciação científica. No XXIII Congresso da Sociedade Brasileira de Microscopia e Microanálise, Cláudia foi classificada em segundo lugar com a micrografia “Micro-visão do bambu laminado colado”, e terceiro com “Visão além da viga”. “Hoje, muitos laboratórios de renome estão seguindo a idéia e a metodologia por ela adotada”, finaliza o orientador.
Além do Laboratório de Engenharia da Madeira, o projeto teve como parceiros outros laboratórios especializados: Laboratório de Histopatologia e Biologia Estrutural de Plantas do Centro de Energia Nuclear na Agricultura, Laboratório de Microscopia Eletrônica de Varredura, do Núcleo de Pesquisa em Geoquímica e Geofísica da Litosfera (NUPEGEL) da Esalq, Núcleo de Apoio à Pesquisa em Microscopia Eletrônica Aplicada à Agricultura (NAP/MEPA) da Esalq e Laboratório de Cristalografia do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP.
Imagens: Marcos Santos / USP Imagens
Mais informações:             (19) 9662-6637      , emailclaudian@esalq.usp.br, com Cláudia Nogueira